O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta quarta-feira (9) que o governo está reduzindo gradativamente o auxílio emergencial e que pagamento deve chegar ao fim em dezembro. Guedes considera que o Brasil lidou bem com a pandemia, se comparado com outras economias. 

"Entre essas reformas estruturais, depois de encontrar a pandemia, um dos pontos mais importantes, além da questão regulatória, de gás natural, mineração etc, abrimos a economia para investimento estrangeiro. Acho que antes do fim do ano, vamos dar outro sinal forte de que estamos reduzindo os subsídios de forma geral no Brasil. Acho que isso vai acontecer antes do fim do ano. Será um outro sinal", afirmou Guedes a investidores. 

Guedes também disse que "há apenas dois dias, o presidente deu outro sinal, o anúncio de que auxílio emergencial, que ajudou na recuperação, será removido em 31 de dezembro. Nós já reduzimos à metade e agora, no final do ano, vamos removê-lo. Demos esses sinais de que vamos reduzir os gastos com a pandemia". 

O ministro afirmou que o auxílio foi criado para que os brasileiros pudessem realizar o isolamento social imposto para o combate da pandemia. "Nós estamos reduzindo gradativamente estes incentivos", afirmou. 

Guedes participou de evento online "Asia Summit", promovido pelo Milken Institute. As pessoas que começaram a receber o auxílio logo na primeira parcela vão receber nove no total, sendo cinco de R$ 600 e quatro de R$ 300. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Redes Sociais


Fale Conosco

Preencha os campos abaixo, e assim que possível entraremos em contato
Enviando...
Mariani 24h © Copyright 2021