O Supremo Tribunal Federal (STF), em decisão da ministra Rosa Weber, negou Habeas Corpus à desembargadora do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), Lígia Maria Ramos Cunha Lima, presa no âmbito da Operação Faroeste.

Lígia esta presa preventivamente desde o último dia 20 de novembro e foi conduzida para o Complexo Penitenciário da Papuda em Brasília. A desembargadora é acusada, junto com a também desembargadora Ilona Márcia Reis, de ter movimentado mais de R$ 1,7 milhão em propinas com a venda de decisões judiciais de acordo com o MPF.

Em decisão expedida na noite desta terça-feira (5), a magistrada afirmou que não há nenhum fato que “justifique o cumprimento da medida cautelar em ambiente distinto do local atual de custódia, ausentes indicativos de negligência quanto às medidas mitigadoras/preventivas de disseminação do novo coronavírus no estabelecimento prisional”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Redes Sociais


Fale Conosco

Preencha os campos abaixo, e assim que possível entraremos em contato
Enviando...
Mariani 24h © Copyright 2021