O Ministério Público da Bahia (MP-BA) quer que a Justiça obrigue o Estado a testar toda a população carcerária e servidores do Conjunto Penal Feminino, em Salvador. De acordo com a promotora de Justiça Andréa Ariadna Santos Correia, há seis internas com Covid-19 e mais sete aguardam o resultado do exame. Além disso, nove estão em isolamento por terem tido contato com os casos confirmados.

 

Para a promotora, o caso é alarmante, e revela “o risco de contaminação em massa das pessoas em situação de privação de liberdade naquela unidade”. Ela destaca que na penúltima inspeção presencial realizada pelo MP em parceria com a Vigilância Sanitária, no dia 20 de janeiro, foi elaborado um relatório técnico da unidade, o qual atestou condições alarmantes de insalubridade e higiene do estabelecimento, tais como tubulações e caixas de esgoto abertas podendo ser foco para atração, proliferação e abrigo de vetores; banheiros para uso dos visitantes em precário estado de conservação, com presença de vestígios de roedores; e pias para lavagem de roupas apresentando revestimentos danificados, sem ligação ao sistema de esgoto.

 

“Depois dessa inspeção, expedimos recomendação à unidade versando sobre a adequação do Conjunto Penal Feminino em consonância com o que foi verificado pela Vigilância Sanitária”, afirmou a promotora de Justiça.

 

 

 

 

 

 

 

Redes Sociais


Fale Conosco

Preencha os campos abaixo, e assim que possível entraremos em contato
Enviando...
Mariani 24h © Copyright 2021