O compositor e intérprete de samba-enredo Dominguinhos do Estácio morreu, na noite de domingo (30), aos 79 anos. Dominguinhos estava internado desde o dia 11 de maio, no Hospital Azevedo Lima, em Niterói e teve uma hemorragia cerebral. No último dia 20, ele precisou ser intubado. O intérprete iria completar 80 anos em agosto.

O sobrenome, Estácio, vem do bairro onde Dominguinhos morou, na Região Central do Rio.

 
Morre o cantor e compositor Dominguinhos do Estácio

Ele começou a carreira na década de 1960, na Unidos de São Carlos. Quando a escola passou a se chamar Estácio de Sá, em 1983, Dominguinhos estava lá.

Pela Imperatriz Leopoldinense, o artista foi campeão do carnaval carioca em duas ocasiões: em 1981, com "Só dá Lalá", e em 1989 com "Liberdade, liberdade, abre as asas sobre nós".

Dominguinhos do Estácio morreu na noite deste domingo (30), vítima de uma hemorragia cerebral. — Foto: Reprodução/Redes sociais

Ao longo da vida, ele levantou a taça de campeão do carnaval cinco vezes:

 

  • 1980 - O que é que a Bahia tem (Imperatriz Leopoldinense).
  • 1981 - O teu cabelo não nega (Imperatriz Leopoldinense).
  • 1989 - "Liberdade, liberda, abre as asas sobre nós. (Imperatriz Leopoldinense).
  • 1992 - Paulicèia desvairada - 70 anos do modernismo (Estácio de Sá).
  • 1997 - Trevas! Luz! Explosão do universo (Unidos do Viradouro).

 

 
 
Dominguinhos do Estácio canta "Liberdade, liberdade, abre as asas sobre nós".

Em 2020, ele sofreu um infarto depois do desfile da Viradouro e foi do Sambódromo direto para o hospital. Em nota, a escola lamentou profundamente a morte.

"Dominguinhos foi o intérprete oficial e emocionou milhões de corações. Sua voz inconfundível e seu carisma cativaram nossa comunidade, criando uma relação única e especial, que ficará para sempre na história do samba e da Viradouro".

Além da agremiação de Niterói, ele também teve passagem pela Grande Rio.

Amigos do mundo do samba começaram a se manifestar pela morte do intérprete.

"É com muita tristeza que recebo a notícia da morte do senhor Dominguinhos do Estácio. Ele é uma referência para mim. Aprendi a cantar, a conduzir sambas, com ele. Ele nos ensinou que a respiração também é música", disse o intérprete da Grande Rio, Evandro Malandro.

"Uma das vozes mais bonitas e elegantes que já vi passar pela Marquês de Sapucaí. Uma grande referência para todos nós, cantores. Vai deixar muitas saudades. Vai com Deus", afirmou o intérprete da Mangueira, Marquinho Art'Samba.

Dominguinhos deixa cinco filhos. Ainda não há informações sobre o enterro.

 

 

 

 

 

 

 

Redes Sociais


Fale Conosco

Preencha os campos abaixo, e assim que possível entraremos em contato
Enviando...
Mariani 24h © Copyright 2021