Um novo desabamento de parte interna foi registrado hoje (15/07) no referido casarão do Largo da Soledade, inteditando a passagem que os moradores usam para acesso a suas casas localizadas no fundo do imóvel. A Defesa Civil de Salvador (Codesal) realizou nova vistoria na manhã desta quinta-feira, interditando o acesso devido ao risco potencial e onde existem cerca de 46 imóveis habitados.

Anteriormente a Codesal havia realizado vistorias no referido casarão, localizado na Poligonal de Tombamento da Soledade, onde ocorreu um desabamento interno (06/07) devido ao avançado estado de degradação e abandono do imóvel.

A construção foi tombada há várias décadas pelo Ipac, que não providenciou a manutenção da construção junto a proprietária, que já foi notificada diversas vezes pela Codesal para que proceda a reforma. O resultado tem sido a crescente deterioração do imóvel.

A Sedur foi acionada para a retirada das partes remanescentes e proceder a inspeção predial. A Codesal encaminhou ofício ao Ipac para análise e deliberação. Registros da Defesa Civil apontam que o casarão possui amplo histórico de desabamentos de alto risco, contabilizados em sete processos desde 2008, tendo um deles ocorrido há cerca de 20 dias. Embora não seja de sua área de competência, a Prefeitura aguarda a autorição do Ipac para a demolição total ou parcial do imóvel.

Em caráter de urgência, a proprietária foi notificada para que, mediante autorização do Ipac, realize o escoramento da fachada e das paredes; promova a cobertura total do imóvel para evitar infiltrações e o encharmento das paredes e efetue a retirada dos escombros do interior do casarão.

Segundo laudo técnico da Codesal, a única solução é a demolição para retirar o risco para moradores o que já foi solicitada ao órgão tombador. Segundo o artigo 14, § 4º da Lei nº 8.895, que institui normas de proteção e estímulo à preservação do patrimônio cultural da Bahia, cabe ao Ipac, ouvido o proprietário e comprovada a incapacidade econômica para a obras de conservação previamente notificadas, adotará, no prazo de 120 (cento e vinte) dias, uma das seguintes providências: I - financiamento integral das obras, em condições especiais, à custa das linhas governamentais disponíveis; II - realização das obras às expensas do Estado; III - subvenção parcial das obras; IV - permuta por outro imóvel; V - desapropriação.

Técnicos da Codesal realizaram reunião com os moradores para dar conhecimento da situação.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Redes Sociais


Fale Conosco

Preencha os campos abaixo, e assim que possível entraremos em contato
Enviando...
Mariani 24h © Copyright 2021